primavera no porto, dia 12 de maio


(tens mais fotos? deixa em link, em comentário!)

Anúncios

indá primavera vai no adro!

13 de maio, domingo na relva! nos jardins do palácio de cristal: meditações pela manhã, piquenique, duas de treta, workshops sobre desobediência civil e democracia e intervenção nas escolas, sol, poesia … e filmes e bolos. 

11h30 – palácio de cristal, concha acústica – relaxamento interno, externo e mental e experiência de paz
As práticas de relaxamento levam à diminuição das tensões musculares externas, internas e mentais. Como consequência, permitem o alívio da fadiga, o aumento da concentração e facilitam o rendimento nas atividades quotidianas. Tragam um banco, ou uma manta, e roupa confortável

13h – palácio de cristal – piquenique comunitário
traz de comer e beber, para partilharmos (lembramos que há sempre vegetarian@s!)

14h30 – palácio de cristal – árvore dos desejos
Mostra aquilo que, afinal, tu queres.

15h – palácio de cristal – workshop: ‘democracia hoje: possibilidades de intervenção na escola pública.
democracia hoje: possibilidades de intervenção na escola pública – Vivemos uma guerra financeira em que a arma é dívida. Que estratégias podemos encontrar para que a escola seja um espaço para o crescimento da comunidade educativa enquanto conjunto de cidadãos? Como questionar o rumo da democracia e os deveres do estado? O que é o poder e que possibilidades de intervenção tem esta comunidade? Como falar da divida, e de quem deve o quê e a quem? Como abordar o discurso anti-estado democrático quando a democracia se começa a perder. Como sensibilizar os professores. Com este encontro queremos dar inicio a um grupo de trabalho que possa elaborar estratégias, encontrar soluções, procurando espaços de autonomia para o incremento da cidadania política no interior das escolas.

17h – palácio de cristal – apresentação do projecto “serviço púb(l)ico.com
apresentação do projecto “Serviço Púb(l)ico.com”, portal estilo blog em que os cidadãos poderão deixar as suas queixas sobre a ineficácia de organismos públicos como as Finanças ou a Segurança Social. O objectivo do site não é so o de servir como mural de queixas, mas também ser usado como uma ferramenta prática na queixa ou defesa dos cidadãos, permitindo a partilha de documentos com cariz jurídico e que possam ser usados por alguém que passou por uma situação semelhante – pretende-se apresentar a ideia, e procurar desde já possíveis colaborações.

17h30 – palácio de cristal– ‘workshop: desobediência civil’
partilha de noções sobre acção não violenta e sobre acção directa. partilha de noções sobre preparação de acções. prática de algumas técnicas de resistência.

18h – livraria gato vadio – sem jeito para o negócio
Mário Sá-Carneiro a partir de Mário Cesariny e Herberto Helder

21h – casa viva – noite de filmes e bolos – filme ‘Baise-moi’
’Baise-moi, 2000 realizado por Virginie Despentes, Coralie Trinh Thi – Produção francesa que causou polémica e foi proibido em França. As atrizes Lancaume e Anderson interpretam as heroínas Nadine e Manu. Para elas, a violência, o humor, o sexo e a música são armas eficazes para fugir daquilo que desprezam: a obediência, a submissão, o tédio e a renúncia a si mesmas. Elas se sentem vivas quando fazem sexo ou quando matam alguém. Nada pode controlá-las. Trata-se de um road-movie cru com uma bela trilha sonora movido a punk e alternativo franceses.

(meanwhile em lisboa a ocupação do parque eduardo VII continua, com bailarico noite fora, e programa cheio amanhã!)

indymedia center a funcionar durante a primavera global!

De forma a garantir que há locais onde as notícias que saem são a nossa versão do que se está a passar… ou seja, de forma a não dependermos dos média empresariais, há um telemóvel ‎(91 483 49 56) que receberá informações das acções de todo o país e as colocará online. Primeiramente no indymedia (pt.indymedia.org) e, imediatamente a seguir, nas redes sociais.

solidariedade para com os presos no despejo da es.col.a da fontinha e recolha de fundos

Depois de o tribunal ter dado como «culpados de resistência» os três detidos durante o despejo do projecto es.col.a da fontinha, e numa altura em que parece estar em curso uma autêntica tentativa de criminalização dos protestos e de repressão dos mais fundamentais direitos de cidadania, participação e manifestação públicas, a primavera no porto está solidária com o projecto e os acusados e contra esta sentença injusta.

Por isso, iremos tentar coordenar, com gente do es.col.a, uma recolha de fundos durante a manifestação de 12 de maio, para que quem queira (e possa) contribua para ajudar a pagar as multas que saíram da condenação dos activistas, e que ascendem a 1500 euros.

Contra a repressão e a violência, solidariedade!

pots and pans and other solutions

 

14 de maio, 22h, maus hábitos – rua de passos manoel, 178, 4º

Na Islândia, o primeiro país europeu a acordar num crash económico, as pessoas ganharam a consciência de que podiam e deviam intervir na sociedade, e começaram a exigir mais participação democrática. Referendou-se o pagamento das dívidas dos bancos pelos cidadãos. O governo foi obrigado a eleger e financiar um Conselho para elaborar uma nova constituição: é um grupo de cidadãos – sem políticos, advogados ou professores universitários abriram o processo à participação de todos os interessados e conseguiram aprovar por consenso a proposta de um novo texto.  Na Islândia de hoje, os cidadãos estão organizados em associações e têm propostas concretas para uma sociedade onde todos possam participar. Vamos conhecer a Islândia que não se fala nos media.

Realização: Miguel Marques – Montagem: Miguel Marques, Yolanda Rienderhoff – Musica – Bruno Carreira – LIGHTS ON(E) – Duração: 64’ – apresentação do filme: Miguel Marques e Ana Afonso

baise-moi

Produção francesa que causou polêmica e foi proibido na própria França. As atrizes Lancaume e Anderson interpretam as heroínas Nadine e Manu. Para elas, a violência, o humor, o sexo e a música são armas eficazes para fugir daquilo que desprezam: a obediência, a submissão, o tédio e a renúncia a si mesmas. Elas sentem-se vivas quando fazem sexo ou quando matam alguém. Nada pode controlá-las. Trata-se de um road-movie cru com uma bela trilha sonora movido a punk e alternativo franceses.

Filme de 2000 realizado por Virginie Despentes, Coralie Trinh Thi , apresentado em sessão ‘filmes e bolos’, na Casa Viva, na praça do marquês, 167, domingo, 13 de maio, pelas 21h

Sem jeito Para o Negócio

 Mário de Sá Carneiro, a partir de Mário Cesariny e Herberto Helder
13 de maio, 18h, na livraria gato vadio, na rua do rosário, 281
hoje, dia de todos os demónios
irei ao cemitério onde repousa Sá-Carneiro
a gente às vezes esquece a dor dos outros
o trabalho dos outros o coval
dos outros
ora este foi dos tais a quem não deram passaporte
de forma que embarcou clandestino
não tinha política tinha física
mas nem assim o passaram
e quando a coisa estava a ir a mais
tzzt… uma porção de estricnina
deu-lhe a moleza e foi dormir
preferiu umas dores no lado esquerdo da alma
uns disparates com as pernas na hora apaziguadora
herói à sua maneira recusou-se
a beber o pátro mijo
deu a mão ao Antero, foi-se, e pronto,
desembarcou como tinha embarcado
Sem jeito para o negócioMário Cesariny